segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Reticências...


Nas reticências mora a esperança...

Na esperança cabe o Universo

E no Universo infindo

Plasmam-se todos os sonhos.

... Assim são as reticências!

17 comentários:

Chica disse...

Lindo e eu adoro as reticências...Me dizem tanto! beijos,tudo de bom e que bom te ver!chica

Helena disse...

Já disse o meu querido Quintana que as reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria seu caminho...
E teu pensamento foi mais e além, conferindo a esses três pontinhos a tarefa de abrigar a esperança e todo o universo que ela contém...
Que bom ver você "movimentando" o blog, minha amiga!
Tanta coisa linda por aqui... E eu tava com saudade de comentar você, viu?
Te amodoro!!!
Um beijo desssssssssssssse tamanho!

Helena disse...

Já disse o meu querido Quintana que as reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria seu caminho...
E teu pensamento foi mais e além, conferindo a esses três pontinhos a tarefa de abrigar a esperança e todo o universo que ela contém...
Que bom ver você "movimentando" o blog, minha amiga!
Tanta coisa linda por aqui... E eu tava com saudade de comentar você, viu?
Te amodoro!!!
Um beijo desssssssssssssse tamanho!

DILERMArtins disse...

Mas bah, guria.
Não gostei do ponto de esclamação no final, preferia reticências...rsrsrs
Reticências são democráticas pois nos permitem concluir ao nosso gosto, ou não.

Anderson Fabiano disse...

reticências são moradas da esperança, abrigos do porvir, certeza de que valeu a pena chegar até ali.
reticências nos lembram que nunca devemos abandonar os sonhos. pois, são eles que nos geram as melhores realidades.
meu carinho,
anderson fabiano

ONG ALERTA disse...

Muito interessante....paz.

Anderson Fabiano disse...

Gaivota,
Deixei um beijo pra você, pelo dia de hoje, lá no meu blog.
Meu carinho,
Anderson Fabiano

Isabel José António disse...

Olá Querida Amiga Gaivota,

Fazia tempo que nãp nos visitávamos. Mas o que importa
e que mesmo quando não nos visitemos nos guardemos em nossos corações como é o nosso caso em relação a si. Um granxde abraço por morar no nosso cortação.

As reticências, como o seu lindíssimo poema afirma, são o prelúdio para o silêncio. São a pausa no ruído constante do pal
rar da nossa mente. Quando existe uma pausa (as reticências) abre-se a porta para todas as infinitas possibilidades que a vida põe à nossa disposição.

Parabéns pelo bom gosto e pelo poema.

Um abraço saudoso

José António

Anne Lieri disse...

Que belo poetrix!Deixo então as esperanças nessas reticências...Bjs,

Chica disse...

Um beijo e estou esperando que assumas novamente pra nos deliciar...beijos,lindo dia e semana!chica

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá.

Penso que o que faz muitas
pessoas infelizes é ver a vida como um ponto final.
Mas a vida é tão ampla
que vivê-la exige nunca terminar,
nunca sentir-se pronto,
nunca deixar de imaginar.
Colocar reticências
no existir...

Que o teu coração seja sempre casa de alegria.

Anderson Fabiano disse...

menina,
pq vc some tanto?.....
pq faz a gente se acostumar com sua presença e depois nos faz órfãos dessa amizade?....

vê se inventa um tempinho nessa sua maratona esotérica e deixa uma bicota lá no meu amo sim. ou, se preferir crônicas e contos, no letras profanas... coisas da leninha rssrsrsrsrs

meu carinho,
anderson fabiano

ps: viu como abusei das reticências?...

Chica disse...

VOLTO AQUI PRA DE AGRADECER E DESEJAR UMA LINDA E FELIZ PÁSCOA JUNNTO AOS FAMILIARES. UM BEIJOS,TUDO DE BOM,CHICA(QUANDO VÃO ACABAR AS FÉRIAS BLOGUÍSTICAS,RSRRRS?)

ONG ALERTA disse...

Feliz páscoa e paz no coração!!!!!!

Maria disse...

Lindíssimo o seu cantinho, hoje foi um prazer encontrá-lo.
Parabéns.
Irei seguir com muito prazer.
Bom fim de semana
Um abraço
Maria

Úrsula Avner disse...

Olá minha cara, os textos poéticos breves muitas vezes, são os mais belos... O seu ficou um mimo ! Bj,

Úrsula

Zélia Cunha disse...

Já estava com saudade da gaivota que majestosa lançou seu voo neste espaço infinito.Emocionei-me com os teus poemas: Olhando para o chão. Lindos, parabéns querida.Neles consegui me ver e confraternizar esse momento tão efêmero que só olhos de poeta sabem registrar e valorizar a beleza que existe nas pequenas coisas, às vezes insignificantes para muitos, mas só a alma de poeta conhece. Como você, também gosto de observar e registrar momentos tão singulares. Um grande beijo!