segunda-feira, 4 de abril de 2011

Constatação...



Cruel constatação...
Não existe explicação,
Nem alquimia que transmute
Esse dilema pregresso,
Quando a dúvida acompanha,
E o silêncio se agarra na interrogação
Com vontade tamanha,
Potencialmente velado,
Irredutivelmente ocluso...
Entretanto ainda assim conduz
Pelas veredas do caminho!
Triste manifestada conclusão:
Há mais lucidez naquilo que esconde,
Mais do que é revelado em plena luz...
Cai
Combalida
A Criação...


imagem: google

6 comentários:

✿ chica disse...

Profundidade e muita beleza por aqui! Que tua semana seja linda.Obrigado pelos carinhos, beijos,chica

Helena disse...

Não sei explicar a sensação que sempre tenho ao ler você...
Há algo que me toca a alma, o coração, a emoção, sei lá... E eu leio, leio e releio, tentando perceber cada nuance, cada pensamento, cada sabedoria do que disse e não perder nenhuma intenção, nenhuma palavra, nenhum acento...

E esses finais, me "derrubam" sempre, no bom sentido, claro...

Eu gosto, gosto e gosto!

Adoro teus poemas, adoro ver você postando... E adoroooo você!

Um beijo, amiga linda!

Érico Cordeiro disse...

Oi,
Gostei do seu blog e dos seus poemas.
Estarei sempre por aqui.
Convido você e seus leitores a conhecer o blog Jazz + Bossa:
www.ericocordeiro.blogspot.com
Abraços a até mais!

Helena disse...

To me acostumando mal.. rsss
Cadê maisssssssss???
Beijo, amiga linda!

Cadinho RoCo disse...

Somos perguntas e respostas.
Cadinho RoCo

Natural.Origin disse...

Cruel...
Mesmo...
:)