quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Há uma ilha e um mar...



Olho nuvens deslizantes no céu
feito brancas velas oceânicas.
Há em mim prenúncio de temporais,
ventanias, tormentas transcendentais...
Sou barco num aponte de proa
ao cais de Neruda e Pessoa.
Um me circunscrita na ilha,
outro me extravasa mares,
ambos me soletram em trilha
revelando-me em susto,
ser meu sonho a realidade
que por ora degusto...

imagem: Google

6 comentários:

✿ chica disse...

LInde demais,Gaivota e isso é sempre ! Adoro tuas inspirações! beijos,chica

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema lindo demais,parabéns.Beijos

Leninha disse...

Que maraviiiiilha,Gaivotinha!!!
Linda simbiose com Neruda e Pessoa...
Meus barcos,há muito me deixaram...mas a recordação é constante e cortante.
Bjsssss,
Leninha

Milla Pereira disse...

E essa ilha tornou-se ainda mais encantadora em teus versos, linda amiga! Bom fds, beijo grande.

Helena Chiarello disse...

Li, reli, adorei!!

"Sou barco num aponte de proa ao cais de Neruda e Pessoa"...

Sabe que lembrei aqui que quqando nos conhecemos, lá trás, um dos nossos papos foi exatamente esse, essa tua paixão por Neruda e Pessoa e foi também a partir daí que descobrimos muitas afinidades.. rss... ÔOOOOOOOOOOO delícia!

Miga, que coisa linda esse poema!! Que inspiração maravilhosa!

E pode ir pensando naquele livro que já falamos várias vezes, viu? Tua poesia tá bvem merecendo isso!!

Um beijo gigante e muiiita saudade!

Adoro você!

Zélia Cunha disse...

Amiga,
Que beleza de poesia! Adoro tuas poesias, a cada dia você se supera e nos brinda com esses versos maravilhosos, parabéns.
Tenha uma linda semana.
Beijos