terça-feira, 16 de agosto de 2011

Repercussão...


Não surgiram essas flores


de desatentos momentos.
São regalos intencionados
dos profícuos instantes,
da “grandura” das planícies,
da “vastura” dos horizontes,
da larguesa dos mares
e da sutileza das fontes...
Foi do “bradante” movimento
de Duendes pinceladas
a se derramar em mil cores
como  lava amanhecida,
tatuando na pele da terra
a explosão florescida das flores...


imagem: google

5 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Oi Gaivota, muito ler um poema tão belo, uma imagem tão profunda quanto versos e cores.Beijos

✿ chica disse...

Lindo trabalho desses duendes da natureza que tu captaste lindamente em poesia! beijos,tudo de bom, chica

Helena Chiarello disse...

Não surgiram essas palavras de desatentos momentos...
São toques da mão divina, sempre conduzindo a tua...
Lindo, Gaivotinha!
Beijo, amigamada...

Leninha disse...

Minha querida,tuas belas palavras e tuas mil cores vieram pincelar e colorir o meu dia...um belo e colorido fim de semana para ti.
Bjssssssss,Leninha

Helena Chiarello disse...

Migaaa!
Brigaduuuu por colocar o link do livrinho da Anne!
Adorei as palavras.. rs
Beijo nesse coração tão macio!
Adoro você!