quinta-feira, 31 de maio de 2012

No último instante...


No último instante...

Que caia por sobre mim
toda a chuva existente,
para que no último instante meu,
eu tome consciência da vida contida
em cada molécula de água...
Que estejam presentes em mim 
todas as chamas que aquecem
e catalisam a vida,
para que no último instante meu
eu saiba da reação induzida 
que gera todo viver...
Que me percorra por toda a pele,
a ventania de ventos, 
comandantes dos movimentos
que perfazem respiração,
para que no último instante meu
eu respire a última realização,
execute a última ação
e conheça por fim o mecanismo da vida...
Com isto que eu caia por sobre a terra,
com densidade e completude,
com tempo suficiente
para agradecer à matéria,
pela bondade de ter sido substrato,
permitindo meu Eu ser Alma...
Assim, dissolve-se a matéria,
retornam os elementos para a individualização...
Separação...
Água, Fogo, Ar e Terra,
fora isto o Eu...
Então estarei livre... Verei a mim mesma,
terei algum entendimento da verdade,
e poderei ter um pequeno vislumbre do infinito..





(repuplicação)

imagem: Google

6 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Um lindo e intenso poema, parabéns.

Elisa T. Campos disse...

Querida Gaivota

Vou voltar aqui para apreciar com mais tempo. Me aguarde

beijos.

Leninha disse...

Minha querida Terezinha,

Teus poemas me trazem a força dos elementos,Água,Fogo,Ar e Terra e a leveza dos sentimentos,a ternura da primavera e o lirismo dos trovadores antigos.

Bjssssss,
Leninha

✿ chica disse...

Maravilha,Gaivota!! Parabéns! beijos,tudo de bom,chica

Elisa T. Campos disse...

Querida Gaivota

Cada molécula de chuva fecunda cresce em chama que te completa (seu ser).
Depois,dissolvendo-se terá entendido a verdade, o mistério do infinito.

Nossa, Terezinha
me emocionei
me catalisei
viajei
Vislumbrei-me

Obrigada por ter feito tão lindo poema.

Um lindo dia para você.
bjs.

Helena Chiarello disse...

Tua poesia sempre comove e faz pensar...
Ela toca tão intensamente o coração, e de forma tão verdadeira, que a emoção arrepia... E a gente fica parado diante de teus versos, refletindo cada palavra, respirando fundo e tomando consciência do esplendor do infinito à nossa frente...

Lindo, Gaivotinha!

Muita saudade, querida amiga! A vida tá bem corridinha aqui, e isso é bom demais da conta! rss

Um beijo nesse coração gigante e iluminado!

Adoooooooooooro você!

Fabiano tá mandando um super beijo também!