quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Reescrita...



Reescrita...

 Não me pergunte do por quê,
 só sei do quando...
 Não me indague das prisões,
 só lembro dos banidos...
 Não me reclame as fitas,
 só desatei os nós...
 Não me defina nas cores,
 só desenhei à crayon...
 Não me busque no todo,
 só entendo da parte...
 Não me aponte o caminho,
 só preocupo com os passos...
 Não me interrogue sobre a magia,
 só sei que nada sei sobre o tema...
 Não me espere com a poesia,
 só encontrei o poema...

 
gaivotadourada

2 comentários:

sementes diárias disse...

E um poema maravilhoso como sempre!Cheio de inspiração e beleza em cada um dos versos! Um beijo,chica

Helena C de Araujo disse...

Acho que o mais importante, está nas tuas mãos... Os quandos, as partes que compõem o todo, os passos que conduzem aos caminhos, os desenhos e os poemas que são você em poesia... Uma poesia infinitamente colorida! Lindo, Tê! Beijo grandão!