sábado, 4 de abril de 2009

Confesso, me surpreendi...



Às vezes me pego pensando
sobre a beleza das flores,
das suas formas, das suas cores,
do seu tempo de duração...
Penso, reflito e repito
p'ra dentro do coração:
- estamos aqui pelas flores,
pois são elas que garantem
o ar da nossa respiração,
pois perpetuam o verde
na sua reprodução...
Foi então num dias desses,
confesso, me surpreendi,
numa estrada à tardinha,
vi uma florzinha sozinha
num recanto arredio,
fui ver com mais atenção
olhando bem de pertinho,
eu juro...a florzinha me sorriu!

imagem: Campos do Jordão

6 comentários:

Helena C de Araujo disse...

Eu adoooro esse poema!! Lembro de ter comentado ele no recanto, dizendo que era impossível alguém não sorrir a você... Ainda mais as flores, que são sensíveis e reconhecem seus pares...
É lindo, lindoo!!
Um beijo grande, amiga de coração florido!!

Chica disse...

Lindo,gaivota1 Ele reconheceu em ti uma pessoa que a valoriza, espalha sua importância e te deu um lindo sorriso em retribuição...um beijo,chica

Isabel José António disse...

Querida Amiga Gaivota,

Lindo, lindo, lindo esse seu poema!

Com uma estrutura simples e comovente.

Muitos parabéns.

Um grande abraço

José António

Raquel Oliveira disse...

Nem preciso falar que amei.
As flores se identificam com flores minha amiga.
O jardim que tem em seu peito é cheio de amor, sementes, folhas de esperança que vão germinar por muitos e muitos anos.
Me identifiquei e muito com seu escrito, ainda mais falando em flores.
Bjos

Palavras de Osho disse...

Lindo poema!

Babes disse...

Não precisas nem jurar...
As flores são puras e lindas e sempre sorriem entre si.

Simples...
Lindo...
Pleno de sentir...


Meu beijo, agora Teu.