sábado, 7 de fevereiro de 2009

Seriam...




Seriam as flores
reservatório de cores,
endereço indicado
das bailarinas borboletas
e dos galantes passarinhos,
que por beijá-las
lhes leva o nome?
Seriam os rios,
curvilíneas paragens,
caminhos de água,
que a suprir essa sede
transborda pelas margens?
Seriam as montanhas,
e às vezes os montes,
imponente relevo
que delineia os olhares,
e garante limites
entre céu e a terra?
Seriam por hora os lagos
cacimba gigante,
abastando os reflexos
dessa nuvem caminhante,
que vem e que vai
e depois em chuva se cai?
Seria poesia, esses versos
transversos e oblíquos
quando escrito em negrito,
no papel reciclado,
e negado o declame,
porém pelo poeta premeditado?
  ...eu creio que sim...
  Mas não é o meu crer,
  a lhes conferir pertinência,
  são o que são
  pela própria transparência da essência!



imagem: google

2 comentários:

Chica disse...

Lindíssimos teus versos e a escolha da imagem faz parte do teu trabalho primoroso! Tudo lindo!um beijo,chica

Raquel Oliveira disse...

EU, com toda sinceridade, admiro tudo o que escreve aqui. Sua palavras são lindas e me deixam flutuar por minutos....
EU AMEI!!!!
e me identifiquei demais aqui.
bjos