sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

"Livrência"...



Num olhar voltado para mim,
vejo e me sinto
irremediavelmente livre,
profundamente consciente,
intencionalmente feliz,
claramente convencida
que não podemos ter
barreiras, impedimentos ou entraves,
pois a vida é tão breve,
mas não breve é minha vontade,
vontade de buscar e entender
qualquer sim,
qualquer não,
e ainda assim
manter constante
e aguçada a indagação
de quem sou e porque vim,
com que fim... eu sou vida?
Eu que habito esse viver,
ou a vida habita meu ser?
Num olhar voltado para mim,
não encontro o início
e nem vislumbro o fim,
tão somente vejo e me sinto
irremediavelmente livre,
profundamente consciente,
intencionalmente feliz...
  Por todos os olhares
  pousados em mim,
  por todos os meus olhares
  voltados assim,
  para cada parte do Todo,

  e para a essência de cada Um...

imagem: internet

 

2 comentários:

Chica disse...

Que lindo sentir essa liberdade com essa consciência e profundidade! um beijo, tudo de bom,chica

Cris Sousil disse...

o poema é táo livre e iluminado quanto a sua criadora, parece até um retrato seu.
Maravilhoso!